Arquivo | cotidiano RSS feed for this section

Da série “sou feliz porque trabalho com informática”.

2 mar

Hoje, ao abrir o sistema que gerencia os chamados abertos pelos usuários, me deparo com a seguinte descrição do problema:

Por favor venha ver se voce arruma meu e-mail, já reiniciei e não adiantou.
*Motivo do Acionamento: Problema de Infraestrutura na Rede Local

Tem como não amar as pessoas diante de tanta educação? Até pensei que o chamado fosse da Hebe.

Gracinha!

2011, Dilma e as lâminas de barbear

4 jan

O ano novo começou com cara de 2010. Sim, porque eu passei a virada com a garganta inflamada e à base de antibiótico para continuar vivo. Mas isso não me impediu de ir a posse da primeira presidenta brasileira. Foi muito bacana poder participar desse fato hístórico, mesmo que isso tenha rendido uma batida de carro e pés sujos de lama (desculpe novamente, Digo).

E as lâminas de barbear? Elas me irritam. São caras e a política de venda é uma safadeza só. Em uma caixa cuja capacidade é de quatro, eles colocam apenas duas. E te cobram R$ 15,00 por isso.  Para mim, não há sensação pior do que comprar algo caro que você sabe que não custa tudo aquilo para ser fabricado.

Para tudo na vida: iPAD

16 dez

https://i2.wp.com/info.abril.com.br/aberto/infonews/fotos/ipad-steve-jobs-apple-20100329141410.jpg

Compre, Baton. Compre, Baton!

A Apple trouxe o iPad. Segundo palavras da empresa, “um produto mágico e revolucionário, por um preço sensacional”. Ontem eu entrei em uma discussão calorosa no Facebook por conta desse aparelhinho. Um amigo postou que esteve em um restaurante cujos cardápios eram…. iPads! Eu questionei o porquê de as pessoas aplaudirem tanto esse tipo de bobagem, uma vez que cardápios comuns são bem mais elegantes e aplicáveis à situação de um restaurante. Mas não pode. Temos que seguir o frenesi do momento, que diz que o tabblet da Apple suas tecnologias revolucionárias devem ser aplicadas a tudo que faça sombra. E todos apaludem, encantados com a modernidade que cria soluções para problemas que não existem. Enquanto isso, o suco continua aguado e caro. As pessoas, sem o senso do ridículo.

Por que odeio carros?

15 dez

Os mais próximos sabem o ódio que nutro pelos carros. Na sexta-feira da semana passada, ao voltar para casa, eu tirei uma foto da calçada da minha rua, que fica em uma área residencial. Se não bastassem as calçadas irregulares – um prato cheio para acidentes, ainda tenho que disputar espaço com os carros que já entupiram por completo as ruas, e agora migram para o que é de direito do pedestre.

A vontade que tenho ao ver carros estacionados na calçada é pegar uma tampinha de garrafa e extravasar minha ira contra esse invento que preza pelo individualismo e desrespeito. Uma pena que aboli o refrigerante de minha dieta.

DSC00293

Ser politicamente correto é… se lascar.

18 nov

https://blogdonoia.files.wordpress.com/2010/11/seringa.jpg?w=276

Desde sexta-feira eu estava com uma dor na garganta idiota. Ia e voltava. Nesta noite ela me incomodou um pouco mais. Nessa situação, qual seria a reação de uma pessoa sã nas condições normais de temperatura e pressão? Ir até uma farmácia e pedir um antibiótico (amoxilina, azitrominicina etc…). Nããããããão. Você tinha que fazer o certinho. Acordei cedo e fui ao hospital para pedir a opinião de um profissional gabaritado.

Quando cheguei, expliquei que o realmente me incomodava era o fato de que a dor persistia por dias, mas não me incomodava, pois não causava febre, vômito ou dor de cabeça. Ele pareceu ignorar tudo o que eu disse. Simplesmente me receitou Benzetacil, dipirona e relaxante muscular. Os dois últimos foram injetados na minha veia (e doeu bastante). O primeiro…bem, o primeiro foi aplicado na bunda mesmo (nada de piadinhas, por favor).

O resultado é que estou com a banda direita dolorida por conta de uma dorzinha que não me incapacitou em momento algum. Acho que nem mesmo um usuário de drogas tem o corpo perfurado tantas vezes em um único dia. Da próxima vez irei até a farmácia mais próxima. E viva a automedicação!

23 de setembro: dia internacional do sorvete!

22 set

https://i2.wp.com/rlv.zcache.com/cute_ice_cream_photosculpture-p153747782901287901qdjh_400.jpg

Hoje é o dia internacional sem carro. Para mim, todo dia é dia sem carro. Logo, não comemoro a data.

Amanhã, sim, é um grande dia. O dia do sorvete. Dizem que essa delícia surgiu na China, e que usavam neve misturada a frutas para fazê-lo. No Brasil, chegou por volta dos anos 1930, no Rio de Janeiro. Dizem, inclusive, ser ele responsável pelos primeiros passos da emancipação da mulher no País, já que o sorvete era vendido entre 3 e 5 da tarde e as moças começaram a ir sozinhas comprar o seu gelado. Viu, Polliana?

Apesar de ser um país tropical, o consumo por cabeça no Brasil é de 3,5 litros/ano. Em países europeus, como França e Suíça, esse valor chega a 25 litros/ano. Eu ultrapasso facilmente a estatística européia.

Philips reciclará até 200 toneladas de equipamentos.

15 mar

Está ai uma ótima atitude, que deveria ser obrigatória a toda empresa que se dispusesse a vender (principalmente) equipamentos eletrônicos. Já que tudo é feito para ser descartável – é mais caro consertar do que comprar um novo – por que não responsabilizar também seus produtores pela entulhada de tecnologia lançada anualmente?

 

Iniciativa foi lançada nesta segunda-feira (15/3) e representa uma continuidade de projeto-piloto desenvolvido em 2009.

A Philips lançou nesta segunda-feira (15/3) um programa de reciclagem que envolverá 25 cidades brasileiras. O projeto vai reciclar produtos eletroeletrônicos e eletrodomésticos que levam o nome da empresa ou a marca Philips Walita. O programa contemplará, por exemplo, aparelhos de TV, áudio e vídeo, eletroportáteis  e monitores.

A iniciativa dá continuidade a um projeto-piloto iniciado em Manaus em janeiro de 2009 que envolveu a reciclagem de 12 toneladas de equipamentos.
A capacidade de reciclagem do novo programa é de 200 toneladas por ano. Para entregar seus produtos ao programa, o consumidor deve entrar em contato com o serviço de atendimento ao consumidor da Philips pelos telefones (11) 2121-0203 ou 0800-7010203. Outra possibilidade é o site. Todo o processo de reciclagem será realizado pela empresa Oxil, que ficará responsável por desmontar  a dar a destinação adequada aos componentes.

Fonte: IDG NOW!

http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/2010/03/15/programa-da-philips-pode-reciclar-ate-200-toneladas-de-equipamentos-por-ano/