Arquivo | fevereiro, 2009

iPod = unhas de tatu?

12 fev

overview-heroHoje eu estava navegando no site da Apple norte-americana. Sonhava, como sempre, com um iPod para meter todas as minhas músicas e bancar o moderninho. Não que eu não tenha dinheiro para comprar um pequeno notável, mas prezo meu dinheiro e não acho que valha tanto assim pra fazer o que faz. Pra começar, ele nem passa roupa. Mas isso será implantado mais tarde, creio. O que realmente me chamou atenção foi a mão da pessoa que segura o iPod. Olhe o tamanho das unhas da criatura! Ninguém me avisou que ter unhas de tatu passou a ser “transado”. Será que é uma mensagem subliminar para entrarmos na Apple Store e levarmos o acessório iScissor por mais $29,95? Eu tenho um instant rebate, moço!

12 fev

Só para fins de registro, hoje,  quinta-feira, o DFTV falou novamente dos urubus no Sudoeste. Dessa vez colocaram o pobre do repórter, com o dia ainda por clarear, para falar ao vivo sobre o assunto. O motivo da matéria, dessa vez, foi o de explicar o motivo da presença dos carniceiros por lá. Eles gostaria da localização? Que nada. Apenas falaram o óbvio.

Que horas são?!

Tudo novo de novo

10 fev
Que horas são?

Que horas são?!

Na falta do que falar, falemos novamente. Este parece ser o lema do DFTV e Bom Dia DF da Globo Brasília. Não é de hoje que percebo a falta do que falar do jornalístico matutino que ao invés de noticíar trânsito e o que se passou na noite e madrugada está mais preocupado com o preço das verduras no CEASA ou em mostrar os Gols do “Candangão” e as cestas do Universo, time do qual nunca tinha ouvido falar. Eles devem imaginar: o pepino em alta esta semana vai render muito assunto ao longos dos 45 minutos dentro do metrô!

Pior ainda são as repetições de notícias irrelevantes. Ontem, segunda-feira, noticiaram uma briga de gangues de classe média (sim, temos isso aqui) e um casal de urubus que igualmente atormentava a mesma classe social que reside no metro quadrado mais caro de Brasília.

Hoje é terça-feira, dez de fevereiro. “Que horas são?”, grita a insuportável Liliane Cardoso às seis e pouco da manhã, enquanto ainda tento colocar as lentes de contato. Ela não traz o pão, mas notícias repetidas e igualmente irrelevantes. Nesse ritmo a audiência da concorrência (diga-se rádio) vai continuar “subindo…”. Deus salve a América.

A volta do boêmio…

5 fev

Depois de algumas turbulências, eis que voltei neste espaço carinhoso e quentinho (ui). Em grande estilo, é claro! Estou até pensando em mudar o nome do blog para “crônicas do metrô”. Mas vejamos, primeiro,  se esse transporte tem boas histórias para rechear este bloghuinho.

Boemia, aqui me tens de regresso
E suplicante te peço a minha nova inscrição
Voltei pra rever os amigos que um dia
Eu deixei a chorar de alegria, me acompanha o meu violão
Boemia, sabendo que andei distante
Sei que essa gente falante vai agora ironizar
Ele voltou, o boêmio voltou novamente
Partiu daqui tão contente por que razão quer voltar
Acontece que a mulher que floriu meu caminho
De ternura, meiguice e carinho, sendo a vida do meu coração
Compreendeu e abraçou-me dizendo a sorrir
Meu amor você pode partir, não esqueça o seu violão
Vá rever os teus rios, teus montes, cascatas
Vá sonhar em nova serenata e abraçar seus amigos leais
Vá embora, pois me resta o consolo e alegria
De saber que depois da boemia
É de mim que você gosta mais.