Arquivo | setembro, 2008

Devaneios em alta.

24 set

(…)

Sou um móbile solto no furacão…
Qualquer calmaria me dá solidão

Quando a âncora do meu navio
Encosta no fundo, no chão
Imediatamente se acende o pavio
E detona-se minha explosão
Que me ativa, me lança pra longe
Pra outros lugares, pra novos presentes
Ninguém me sente…
Somente eu posso saber o que me faz feliz.

(Moska, Um Móbile no Furacão)

Durma que passa, menino

18 set

Em tempos de turbulência – família, amor, trânsito e bolsa de valores -, a gente pára e pensa como seria o dia seguinte ao final do mundo. Joelmir Betting disse algo bem interessante essa semana, quando a Bolsa bateu 7% de perda em um só dia. Para ele, se o mundo acabasse hoje, estaríamos aqui, na manhã seguinte, comentando o fim do mundo. Tudo está globalizado. E isso inclui nossos problemas, já que influenciam no trabalho, na vida do amigo e no chute que eventualmente poderá acertar o cachorro. A última hipótese dificilmente aconteceria comigo.
A solução para evitar que o mundo se espedace de vez é dormir. Dormir, dormir e dormir. Vai ver o mundo precisaria parar um pouco e tirar um cochilo. Depois do almoço, preferencialmente. Porque o sono não tem contra-indicação: está acessível a todas as camadas, não tem contra-indicação e só traz benefícios. Daí, quando acordamos, a gente pensa com mais calma (e menos sono) sobre como resolver nossos problemas.

Samba e Amor

Chico Buarque

Composição: Chico Buarque

Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito sono de manhã
Escuto a correria da cidade que arde
E apressa o dia de amanhã
De madrugada a gente ‘inda se ama
E a fábrica começa a buzinar
O trânsito contorna, a nossa cama reclama
Do nosso eterno espreguiçar
No colo da bem vinda companheira
No corpo do bendito violão

Eu faço samba e amor a noite inteira
Não tenho a quem prestar satisfação

Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito mais o que fazer
Escuto a correria da cidade. Que alarde!
Será que é tão difícil amanhecer?
Não sei se preguiçoso ou se covarde
Debaixo do meu cobertor de lã

Eu faço samba e amor até mais tarde
E tenho muito sono de manhã.

Metrô libera uso de bicicleta durante a semana

17 set

Calma, gente. Só em São Paulo.

Enquanto isso eu continuo sem bicicleta, pois ela foi furtada exatamente em uma estação de metrô daqui de Brasília. Segue a “notícia inveja”.

bicicleta-roubada_1

da Folha de S.Paulo

A partir de hoje, ciclistas poderão viajar no metrô de São Paulo de segunda a sexta-feira, das 20h30 até o fechamento das estações. Até então, o acesso das bicicletas estava restrito aos finais de semana.

Serão permitidas apenas quatro bicicletas por trem, e elas somente poderão ser embarcadas no último vagão.

A partir deste sábado os horários permitidos para ciclistas nos finais de semana também serão ampliados, indo das 14h do sábado até o fechamento das estações (1h da manhã de domingo) e durante todo o domingo enquanto os trens funcionarem -das 4h40 à meia-noite.

Nos trens da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que permite o acesso com bicicletas nos trens somente aos sábados, domingos e feriados, o horário de funcionamento do Programa Ciclista Cidadão também foi ampliado –aos sábados vale a partir das 14h e aos domingos e feriados, das 4h à meia-noite.

Para Sérgio Augusto Affonso, do CAB (Clube dos Amigos da Bike), a medida é positiva. “É uma iniciativa válida, que ajuda a inserir a bicicleta na sociedade. O Metrô vai poder avaliar a demanda e até ampliar o horário para o dia todo”, afirma.

TV Digital: a supernova brasileira ou Vale a Pena Ver de Novo?

11 set

 datenaEm tempos de TV digital, que ultimamente parece ser a salvação para todos os males sociais do país, nunca se discutiu tanto os benefícios que essa evolução da forma de transmissão dos sinais de televisão vai trazer para o telespectador. Som em 5.1 canais, imagem em alta definição, interatividade, bancos, e-mail, jogos (SMS, Tele-Sena, 0900 e chats amizade) e multiprogramação são algumas maravilhas que me vêm à memória. Tudo pipocando na tela da sua televisão, para ver e ouvir, meu caro telespectador!

A grande ironia é que passaram a oferecer um mundo maravilhoso sem nem mesmo terem explorado o que a TV analógica poderia oferecer. Um bom exemplo é o som estéreo. Sim, aquele que você tem nas rádios FM (para citar a forma mais simples dele). Não vale comparar a São Paulo, porque esta cidade se trata mais de uma exceção do que um padrão nacional, mas aqui em Brasília, por exemplo, apenas a Globo possui transmissão em estéreo – que é totalmente discutível por não possuir graves “envolventes”. A MTV daqui, canal teoricamente voltado à música, passa longe dessa “vanguarda” do som.

Recentemente a Band (a antiga emissora do esporte, da Márcia ou da Emanuelle, como queiram), segundo canal mais antigo do país, implantou nada mais nada menos que a fantástica fábrica de Closed Captions! Para se ter uma idéia do atraso que isso representa, marciaa tecnologia já é amplamente difundida desde o início dos anos 90! Imagine quanta gente deixou de ver o Jonal da Band, programas esportivos e partidas de futebol por simplesmente não conseguir ouvir o que se diz na TV. E quando falamos em deficientes auditivos, não é incomum que imaginemos aquele indivíduo que se comunica por linguagem de libras. Muito mais comum, entretanto, é esquecermos daquele nosso tio e avô, que já não possuem uma acuidade auditiva como a nossa e que se privam de ver TV por ter de usar volume excessivamente alto para compreenderem algo, o que inclusive prejudica uma possível reunião de pessoas em um mesmo ambiente devido ao barulho excessivo do aparelho que incomoda a todos.

A TV digital, plagiando Paulinho Moska, é tudo novo de novo. Um progresso às avesas, uma vez que continua a mostrar mais do mesmo: novelas, Hebe, Faustão, Gugu, Zorra Total e as magníficas gincanas dos programas vespertinos. Tudo em Full HD, é claro! Inclusive Polishop e seu Juicer Philips Wallitta com pagamento facilitado. Sempre!

ps.: e ainda querem que troque de televisor…

Google Chrome: o navegador do laptop da Barbie?

5 set

google_chrome

Então, meus caros. O Google lançou o seu navegador, o Google Chrome. Apresentou várias vantagens, algumas inéditas, em sua engenharia. A maior, com direito a história em quadrinhos explicando o que o diferenciava em relação aos outros, é a de que o navegador um navegador deveria ser simples e limpo, evitando ao máximo intervenções do usuário durante a navegação. O problema é que na busca de tamanha simplicidade, o navegador ficou com a cara de navegador daqueles laptops da Barbie. Ok, ok. Vou aliviar um pouco. Ficou a cara do navegador do laptop do Ken, o namorado da Barbie, já que o dele é azul, e não rosa como o dela.

A simplicidade é tamanha que esqueceram de fazer o meu banco (o do Brasil) funcionar nele. Seria Java, plugin, a umidade do ar em Brasília? Não sei. Não era pra ser simples? Logo, eu nem deveria perder meu tempo procurando a solução para esse problema.

E antes mesmo que comecem a cuspir no meu blog, já aviso que prefiro o Opera no computador do trabalho (Pentium III) e o Firefox, no notebook de casa (Dell). Vale a pena baixar por mera curiosidade. Nada mais. Seguem os links:

–> Download do Google Chrome

–> Laptop da Barbie (Buscapé)

Frio…

4 set

Tem feito muito frio, não?

Parece que até as tardes tem sido frias, um vento gelado inexplicável. E nào é o fim de tarde não. Como explicar?

Atropelei duas gordas em uma moto

2 set

Calma. Foi só um sonho. E não é de hoje que sonho demais. E já percebi que quanto mais estou cansado e com menos horas de sono disponíveis mais eu sonho…e acordo de madrugada.

Hoje eu sonhei que estava na EPTG (uma via, teoricamente, expressa de Brasília) e me lembro que estavam duas mulheres muito gordas em uma moto. Não entendi como eu consegui esbarrar com meu carro na moto delas (uma daquelas parecidas com vespas). O mais engraçado é que elas nada sofreram, apenas alguns machucados naquelas pelancas que ficam penduradas no final da barriga. Preciso goolgar isso pra ver o que significa.